Assassina em série é executada na Flórida

A assassina em série Aileen Wuornos foi executada hoje de manhã, com uma injeção letal, aos 46 anos de idade. Há mais de dez anos ela matou seis homens em estradas do sul da Flórida, enquanto exercia a prostituição. A execução ocorreu na prisão estatal da Flórida, perto da cidade de Starke.?Odeio a vida humana e gostaria de matar novamente", disse ela à Suprema Corte. A assassina afirma ter matado ainda um sétimo homem.Wuornos foi condenada seis vezes por ter assassinado homens de meia-idade entre 1989 e 1990 e passou dez anos no corredor da morte, no Estado da Flórida. Ela demitiu seus advogados e abriu mão de suas apelações, apesar das dúvidas sobre sua saúde mental. Sua condenação se baseou na sua primeira vítima, Richard Mallory, proprietário de uma loja de produtos eletrônicos, cujo corpo foi encontrado em 1989, no Condado de Volusia. Durante seu julgamento por assassinato, em 1992, Wuornos afirmou que Mallory estuprou-a, espancou-a e submeteu-a a sodomia. Mais tarde ela desmentiu suas afirmações e disse que queria fazer paz com Deus. O advogado de Fort Lauderdale Raag Singhal escreveu para a Suprema Corte na semana passada expressando "sérias dúvidas" sobre o estado mental de Wuornos. O governador do Estado da Flórida, Jeb Bush, ordenou que ela fosse submetida a um exame mental. Três psiquiatras a entrevistaram e concluíram que ela entendia que iria morrer e o motivo de sua execução. O procurador da Flórida John Tanner, que acompanhou as entrevistas dos psiquiatras, disse que ela estava lúcida. "Ela sabia exatamente o que estava fazendo", afirmou. Wuornos, de 46 anos, é a décima mulher executada nos Estados Unidos desde que a pena de morte foi reintroduzida no país, em 1976. Em todo os Estados Unidos, 804 detidos foram executados com a pena de morte desde então.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.