Assassinados centenas de dirigentes do Partido Baath

Centenas de dirigentes do Partido Baath do Iraque, entre eles o cantor dos hinos em louvor a Saddam Hussein, foram assassinados no país nas últimas semanas, relatou a imprensa americana. Para o jornal Washington Post, já é de centenas o número de membros do Baath vitimados desde que as tropas americanas entraram em Bagdá, com a maior concentração de homicídios na capital iraquiana. Entre as vítimas figura Daud Qaysi, um personagem bastante conhecido dos iraquianos, já que por 30 anos se dedicou a ser o cantor oficial nos atos públicos destinados a exaltar Saddam Hussein. Qaysi, que ocupava um cargo de destaque no ministério da Cultura, foi assassinado no sábado na porta de sua casa, quando um grupo de homens armados abriu fogo contra ele. Muitos outros militantes da ditadura de Bagdá foram mortos por "vingança" ou "acerto de contas". Outros assassinatos de ex-dirigentes governistas foram igualmente perpetrados em Najaf, Kerbala e Basra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.