Assassinato causa distúrbio na China

Dez mil pessoas queimam viaturas e prédios em Guizhou após libertação de suspeitos pela morte de garota

Cláudia Trevisan, correspondente em Pequim, 'O Estado de S. Paulo'

30 de junho de 2008 | 20h15

Cerca de 10 mil pessoas atacaram prédios públicos e incendiaram viaturas da polícia em uma cidade do sudoeste da China durante o fim de semana, em mais um caso de insatisfação popular contra o governo no período que antecede a Olimpíada de Pequim.Os protestos foram provocados pela libertação de suspeitos de ter estuprado e assassinado uma garota de 16 anos no Condado de Wen’ga, na Província de Guizhou. Segundo a polícia, a adolescente cometeu suicídio jogando-se em um rio da cidade. Mas a população sustenta que as autoridades locais querem abafar o caso por causa da ligação dos acusados com chefes locais do Partido Comunista. Cláudia Trevisan, correspondente em Pequim Leia a reportagem completa na editoria de Internacional de 'O Estado de S. Paulo' desta terça-feira, 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.