Assassinato de político paquistanês paralisa Karachi

Karachi, a maior cidade do Paquistão, ficou paralisada nesta sexta-feira por causa do assassinato de um político do partido Movimento Muttahida Qaumi (MQM), dominante na cidade.

FAISAL AZIZ, REUTERS

17 de setembro de 2010 | 17h58

Imran Farooq, um dos fundadores do MQM, foi morto a facadas na quinta-feira em Londres, onde estava exilado. Não está claro se o crime foi político.

Afastado da política há dois anos, Farooq havia pedido asilo à Grã-Bretanha 11 anos atrás, após passar mais de sete anos foragido da polícia paquistanesa, que o acusava de envolvimento em homicídios e outros crimes graves. Ele negava as acusações.

Embora ele não fosse mais influente no MQM, o homicídio pode gerar mais violência étnica e política em Karachi.

A maioria das lojas e escolas não abriu na sexta-feira, e o transporte público não circulou, depois de o MQM anunciar dez dias de luto.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOCRIMEPOLITICO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.