Assassino canibal encontra vítima voluntária na internet

A promotoria alemã acusou um homem de assassinar, desmembrar e comer a carne de outro homem, que conheceu pela internet. O crime teria sido cometido com o consentimento da vítima. O homem, um analista de sistemas identificado apenas como Armin M., cometeu o crime em março de 2001, disse o promotor público Hans-Manfred Jung em entrevista coletiva na cidade de Kassel, região central da Alemanha. O suspeito foi detido em dezembro de 2002. A promotoria chegou a ele depois de um estudante austríaco ter visto um anúncio publicado pelo suspeito na internet, por meio do qual buscava uma vítima voluntária para assassinato e canibalismo. "É certo que o crime foi cometido com o consentimento da vítima", garante Jung. Mesmo assim, a promotoria qualificou o ato de homicídio doloso e não como um assassinato por misericórdia, pois as evidências indicam que a iniciativa foi do suspeito. O suspeito matou a vítima - um homem de 43 anos, natural de Berlim, identificado pelas autoridades como Bernd Juergen B. - cortando sua garganta com uma faca na cidade de Rotemburgo, prosseguiu a promotoria. Ele teria partido o corpo da vítima em pedaços, congelado partes do cadáver e enterrado o resto. O suspeito filmou a ação. A fita de vídeo está sendo usada como evidência. Se condenado, Armin M. pode arcar com a prisão perpétua. Não foi estabelecida nenhuma data para o julgamento. A polícia fez buscas na casa do suspeito e encontrou carne e ossos humanos.

Agencia Estado,

17 Julho 2003 | 15h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.