Assassino de 22 idosos é condenado na Suiça

A justiça suíça condenou nesta quarta-feira à prisão perpétua o "enfermeiro da morte", um homem de 37 anos que foi considerado culpado da morte de 22 idosos entre 1995 e 2001, informaram fontes judiciais.As vítimas do "enfermeiro da morte", que morreram por asfixia e envenenamento, tinham entre 66 e 95 anos e sofriam de demência senil.Todos eles recebiam cuidados médicos em diferentes centros de saúde das províncias suíças de Lucerna, Obwald e Schwitz, locais em que o condenado trabalhava.Após sua prisão em 2001, o homem declarou ter agido por "compaixão e esgotamento" e, durante o processo judicial, o advogado alegou que seu cliente não tinha feito os idosos sofrerem e que os tinha matado para aliviar seus sofrimentos.No entanto, esses argumentos foram rejeitados pelo tribunal, que considerou que "três das vítimas tinham boa saúde e outras quatro incomodavam o enfermeiro, por isso ele as matou".Além disso, como o acusado não reconheceu os fatos, o tribunal não diminuiu essa pena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.