Assassino de filho de banqueiro gostava de crianças, diz padre

O suposto assassino do filho de um banqueiro alemão liderava um grupo jovem em sua igreja e chefiava uma torcida de um time de Frankfurt para o qual a vítima de 11 anos torcia fanaticamente, revelaram investigadores nesta quarta-feira. Seqüestrado na sexta-feira, Jakob von Metzler foi encontrado morto ontem, apesar do pagamento de um milhão de euros por seu resgate, feito pela família.Promotores comentaram que marcas de ferimentos foram encontradas na garganta do garoto, indicando um provável estrangulamento, apesar de o anúncio da causa oficial da morte estar previsto para sexta-feira. Amigos e colegas de Jakob depositaram hoje centenas de flores em frente à vila onde vive sua família, não muito longe de onde o garoto foi seqüestrado na última sexta-feira quando ia para a escola.Magnus Gaefgen, um estudante de direito de 27 anos que cresceu no mesmo bairro que o menino e freqüentou a mesma escola, foi acusado por seqüestro e assassinato. Ele ainda não declarou-se perante o júri, disseram os promotores. Um padre da paróquia de São Bonifácio disse que o suspeito é confiável e parecia gostar de trabalhar com crianças. Até dois anos atrás, ele liderou grupos de jovens católicos. "Ele era um jovem prestativo e amistoso", comentou o padre Richard Weiler. Gaefgen também liderava uma torcida organizada do Eintracht Frankfurt, time para o qual torcia a jovem vítima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.