EFE/EPA/FLORIDA DEPT
EFE/EPA/FLORIDA DEPT

Assassino de homossexuais é executado na Flórida

Em sua última declaração escrita, Bowles pediu perdão pelos "sofrimentos" que causou

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2019 | 03h01

MIAMI, EUA - O estado da Flórida executou nesta quinta-feira, 22, Gary Ray Bowles, que confessou ter matado seis homens em 1994 em uma série de ataques contra homossexuais.

Bowles era conhecido como o "Assassino da I-95" (em referência à rodovia que conecta o leste dos Estados Unidos de norte a sul), porque matou as seis vítimas em seis estados ao longo dessa via.

Depois que a Suprema Corte da Flórida negou várias apelações para suspender a execução por injeção letal, a punição máxima foi executada na noite desta quinta-feira.

Em sua última declaração escrita, Bowles pediu perdão pelos "sofrimentos" que causou. "Jamais desejei que minha vida se parecesse com isto. Ninguém acorda um dia e decide ser um assassino em série". 

O jornal Washington Post publicou um perfil de Bowles em 1994, que na ocasião era fugitivo, e no qual narra os maus-tratos sofridos pelo padrasto e o abandono da mãe. Fugindo de casa, se dedicou à prostituição para sobreviver. 

Desde então, foi preso várias vezes, inclusive por agredir e estuprar a namorada. Em 1994, foi capturado em Jacksonville, nordeste da Flórida, pelo assassinato de Walter Jamelle Hinton. Bowles então confessou ter matado seis homens. Foi sentenciado em 1999 à morte pelo assassinato de Hinton. AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.