Reuters
Reuters

Assassino de Toulouse enviou um vídeo à sede da Al-Jazeera em Paris

Segundo informa o site do jornal 'Le Parisien', o pacote recebido continha um cartão de memória e uma carta

Efe,

26 Março 2012 | 19h16

TOULOUSE - O assassino de Toulouse, Mohammed Merah, enviou um vídeo à sede do canal Al-Jazeera em Paris com imagens dos sete assassinatos que perpetrou nessa cidade do sul da França e na vizinha Montauban.

 

Leia também:

linkIrmão de atirador de Toulouse é indiciado como cúmplice

linkAtentados agitam a campanha francesa

link IP de computador entregou localização de Merah

link Mohammed Merah era investigado há anos 

 

Segundo informa o site do jornal "Le Parisien", o pacote recebido pela televisão catariana continha um cartão de memória e uma carta e foi entregue à polícia judiciária, que confirmou a autenticidade do vídeo.

O pacote teria sido enviado na terça-feira passada pela noite ou na quarta-feira de manhã. Merah morreu na quinta-feira baleado pela polícia após um cerco de 32 horas à sua casa em Toulouse.

As imagens armazenadas são acompanhadas de música religiosa e versículos do Corão, acrescentaram os meios de comunicação.

O site do jornal detalhou que o carimbo era de quarta-feira passada, quando Mohammed Merah estava encurralado em seu apartamento de Toulouse, e por isso a polícia tenta averiguar se foi enviado na véspera por ele mesmo ou na quarta-feira de manhã por um cúmplice.

Várias testemunhas tinham visto a câmera que Mohammed Merah, de 23 anos, levava em seu peito durante o ataque a um colégio judaico.

Antes de sua morte, ele foi acusado pela morte de três paraquedistas franceses em Toulouse e Montauban e de três crianças judias de Toulouse, assim como do pai de duas deles, e havia garantido que tinha atuado sozinho.

Seu irmão mais velho, Abdelkader Merah, foi acusado ontem por cumplicidade nos sete assassinatos confessados por Mohammed no sul da França, crimes nos quais os investigadores não descartam a participação de outras pessoas.

Também hoje a imprensa francesa noticiou que o pai de Mohammed, divorciado há mais de 20 anos de sua mãe e condenado à prisão em duas ocasiões, uma delas a cinco anos por tráfico de drogas, diz ter intenção de processar o Estado francês por não ter capturado seu filho com vida e por enterrar seu corpo na Argélia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.