Assassino em série condenado à prisão perpétua

O pintor de carros americano Gary Ridgway, 54, o assassino em série que fez mais vítimas na história dos Estados Unidos, foi condenado à prisão perpétua pela morte de 48 mulheres. A sentença do juiz Richard Jones, que presidiu o julgamento realizado na cidade de Seattle (Washington, noroeste dos EUA), não deixa nenhuma possibilidade de liberdade condicional para o réu.Ridgway pediu desculpas por "ter matado todas essas jovens" após ouvir a sentença. No dia 5 de novembro, Ridgway se declarou culpado pelas mortes das 48 mulheres. "Assassinei tantas mulheres que me custa lembrar todas", afirmou.Ridgway admitiu ser responsável por uma sucessão de homicídios iniciada há 21 anos. O acusado afirmou ter feito um acordo com o promotor público Jeff Baird - ele teria admitido a culpa para evitar ser condenado à de morte. "Meu plano era: assassinar tantas mulheres que eu considerasse prostitutas quanto pudesse", acrescentou.No caso, conhecido como o do "assassino de Green River", Ridgway cometeu crimes entre julho de 1982 e fevereiro de 1984. O suspeito admitiu 42 mortes no período, e mais outras seis, cometidas entre 1990 e 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.