Assassino era ''legal e confiável''

Michael McLendon tinha 28 anos, emprego estável, casa, família e cachorros. "Ele não foi demitido, não tinha ficha criminal e não tinha histórico de doença mental, todos os sintomas que procuramos normalmente", disse J. Christopher Murphy, diretor do Departamento de Segurança Pública do Alabama.Em 2003, McLendon ingressou na polícia, mas desistiu depois de apenas duas semanas de treinamento.Os amigos de infância disseram que ele era "uma pessoa legal" e "um líder confiável" na turma."Se me perguntassem, dois dias atrás, se ele seria capaz de fazer isso, eu diria que absolutamente não", contou Clay King, prefeito de Samson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.