Assembléia boliviana supera impasse de votação após meses

A Assembléia Constituinte boliviana superou o abalo e entrou numa nova fase de deliberação após sete meses de tentativa pró-governo de aprovar artigos por maioria, ao invés dos três poderes que exige a constituição atual.Nesta segunda-feira, iniciou-se uma nova fase de trabalho, centrada com a elaboração da nova Carta Magna. O primeiro passo é a exposição da denominada "Visão do País" dos 16 partidos e movimentos que tem constituintes, explicaram à Efe fontes da Assembléia, com a qual o presidente Evo Morales pretende "refundar" a Bolívia.Espera-se que as apresentações com os ideais de cada grupo terminem essa semana, pois cada bancada só terá três horas e podem causar atrasos, uma vez que o canal estatal de televisão transmitirá ao vivo as sessões parlamentares.O chefe de imprensa do fórum, Martín Balcazar, explicou que o canal estatal não poderá transmitir nada antes da próxima quarta-feira.Em Sucre, sede da Constituinte e capital oficial da Bolívia, não se escutavam nesta segunda-feira muitas declarações otimistas sobre o êxito da Assembléia.Os constituintes opositores seguem acusando os governistas de intransigentes. As ofensas são devolvidas e agora se culpam mutuamente do eventual fracasso do processo.Sem embargo, alguns asseguram que há um acordo entre os principais partidos para ampliar as sessões por alguns meses, até o final do ano, com a condição de que em julho já se tenha avançado substancialmente.Os pontos que seguem sem consenso após o trabalho da Comissão de Acordos serão levados à consulta popular em um referendo, segundo acordo do governo com a oposição, que permitiu superar a escolha do sistema de votação da semana anterior ao Carnaval.Para acelerar o processo, os constituintes discutiram hoje uma proposta para ampliar as sessões para dez horas diárias e seis dias da semana, de segunda à sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.