Assembleia da França aprova reforma da aposentadoria

Leis agora devem ser sancionadas por Sarkozy; manifestações estão marcadas para a quinta

Agência Estado e Associated Press

27 de outubro de 2010 | 13h51

PARIS - A Assembleia Nacional da França aprovou nesta quarta-feira, 27, em definitivo a reforma da previdência pretendida pelo governo do presidente Nicolas Sarkozy. Assim, a proposta foi passou por todo o Parlamento e segue para a sanção do mandatário.

 

Veja também:

mais imagens Galeria de fotos: Protestos na França

lista Entenda: Reforma na previdência motiva greve

documento Gilles Lapouge: A revolta dos jovens

especialEspecial: Veja o histórico de manifestações na França

 

O texto das novas leis passou por 336 votos a favor e 233 contra. Sarkozy, porém, não deve validar a reforma nas próximas semanas. Entre outras medidas, a lei eleva a idade mínima para a aposentadoria de 60 para 62 anos.

 

Após a aprovação do projeto, um membro importante do oposicionista Partido Socialista, Bruno Leroux, disse em uma entrevista para a televisão que o partido vai contestar a lei no tribunal constitucional da França. Tal decisão já era esperada, e observadores políticos afirmam que a lei, que deve ser aprovada pelo tribunal, pode entrar em vigor somente por volta do dia 5 de novembro.

 

A França viveu duas semanas de protestos e greves contra a adoção dessas medidas, mas as manifestações perderam força. Ainda assim, mais marchas estão marcadas para esta quinta-feira.

 

O país sofria com crises de abastecimento de combustíveis devido ao bloqueio a refinarias e greves. Além disso, os setores de aviação, ônibus e trens foram prejudicados, bem como o de coleta de lixo. Os estudantes também aderiram aos protestos e entraram em confronto com a polícia em diversas ocasiões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.