Assembleia egípcia levanta dúvidas sobre cronograma para democracia

A assembleia que escreve a nova Constituição do Egito votou no domingo contra um artigo que exige que eleições parlamentares sejam realizadas antes de eleições presidenciais, levantando incertezas sobre o cronograma de transição política do país.

Reuters

01 de dezembro de 2013 | 14h26

Trinta e três membros da assembleia formada por 50 e nomeada pelo presidente interino Adly Mansour votou contra o artigo, o que significa que eles terão que redigi-lo.

Alguns membros da assembleia pediam que as eleições presidenciais fossem realizadas antes das parlamentares, citando a fraqueza dos partidos políticos seculares do Egito.

A constituição, cuja expectativa é de que seja colocada para referendo neste mês, é parte de uma transição política planejada pelo Exército e imaginada depois da queda do presidente islâmico Mohamed Mursi em julho passado, e tem o objetivo de levar a eleições parlamentares e presidenciais no próximo ano.

Dos 247 artigos da Constituição, quatro não foram aprovados pela assembleia e serão discutidos e votados de novo em uma sessão privada.

(Reportagem de Yasmine Saleh)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITODUVIDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.