Assentamentos na Cisjordânia continuam, diz Sharon

Enquanto mediadores internacionais se reúnem na Jordânia para tratar do processo de paz no Oriente Médio, o primeiro ministro de Israel, Ariel Sharon, afirmou a seu gabinete em Jerusalém que os assentamentos judeus na Cisjordânia continuarão a ser construídos de forma discreta. A informação foi dada por um alto funcionário do gabinete do primeiro-ministro que não quis se identificar. A decisão de Sharon vai contra o plano de paz apoiado pelos Estados Unidos, que prevê a paralisação de tais construções. Segundo contou o funcionário, Sharon teria declarado que alguns destes pontos na Cisjordânia são essenciais para a segurança israelense.Os esforços para a implementação do processo de paz têm sido frustados pelos contínuos atos de violência promovidos por grupos extremistas. De um lado, tais grupos afirmam que cessarão os atentados quando Israel cessar seus ataques. Israel se nega, afirmando que não cederá, pois trata-se de sua segurança, o que lhe confere o direito de perseguir extremistas, tanto os que detonam bombas junto ao corpo quanto os que supostamente planejam tais atentados. Para Sharon, esta postura contra extremistas é muito importante. E ameaçou: "se a Autoridade Palestina continuar negando-se a tomar medidas sérias contra os terroristas, nós continuaremos com nossas medidas para dar segurança ao povo de Israel".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.