Assessor de Bush critica papel "corrosivo" da imprensa

Karl Rove, principal assessor político da Casa Branca, afirmou no sábado que a imprensa critica freqüentemente os políticos porque querem desviar a atenção sobre o "papel corrosivo" que a cobertura da mídia desempenha na vida pública americana."Alguns condenam o papel profissional da política e gostariam que este desaparecesse", disse Rove em discurso de graduação na Universidade George Washington, na capital dos EUA."Alguns argumentam que os políticos profissionais estão arruinando a política americana" ao competir por uma exposição diária nos meios de comunicação, ao invés de terem uma estratégia de longo prazo visando os melhores interesses do país.Rove, responsável pela organização das vitórias eleitorais do presidente George W. Bush, acrescentou que "é raro que a maioria desses críticos seja jornalista ou colunista".Espionagem ilegalOs arrufos entre o governo do presidente George W. Bush e a imprensa dos EUA não são recentes. Um dos casos mais notáveis foi a divulgação pelo New York Times da notícia de que Bush autorizou a Agência de Segurança Nacional (NSA, em inglês) a espionar, grampear telefones, monitorar correspondências e e-mails e vigiar moradores dos EUA e turistas. Tudo isso, sem autorização da JustiçaO objetivo da espionagem ilegal era identificar conexões terroristas no país nos meses que se seguiram aos atentados de 11 de setembro de 2001. Desde então, centenas, ou mesmo milhares, de pessoas tiveram seus passos observados sem que soubessem.A permissão, segundo o diário, foi concedida à NSA por meio de uma ordem assinada por Bush alguns meses depois dos atentados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.