Assessor de Milosevic pede que autópsia seja feita em Moscou

O assessor jurídico de Slobodan Milosevic, Zdenko Tomanovic, disse neste sábado que pediu ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) que a autópsia do falecido ex-presidente sérvio e iugoslavo seja feita em Moscou. "Apresentei esse pedido ao TPII devido às afirmações de Milosevic, ontem, de que estava sendo intoxicando na prisão", disse Tomanovic em declarações à emissora de televisão Belgradino B92. Tomanovic, que se encontra em Haia, indicou que na última sexta-feira à tarde se encontrou pela última vez com Milosevic e que, por solicitação deste, informou o fato ao Ministério de Exteriores russo através da embaixada da Rússia na Holanda. O assessor jurídico insistiu que "deve estar presente à autópsia alguém de Moscou, já que esse é o desejo da família de Milosevic". Segundo informou o TPII, Milosevic, de 64 anos, foi encontrado morto neste sábado em sua cela nas dependências da corte de Scheveningen (Haia). O TPII abriu uma investigação sobre a morte do ex-presidente e ordenou uma autópsia e um exame toxicológico. Milosevic estava sendo julgado desde fevereiro de 2002 perante o TPII por crimes de guerra na Bósnia, Croácia e Kosovo.

Agencia Estado,

11 Março 2006 | 16h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.