Assessor de tio deposto de líder norte-coreano pede asilo no Sul

A Coreia do Norte pode estar enfrentando sua mais grave deserção em 15 anos, já que a imprensa sul-coreana noticiou na sexta-feira que um homem que geria fundos para um tio do dirigente Kim Jong-un, agora caído em desgraça, teria fugido do isolado país e buscado asilo na Coreia do Sul.

Reuters

06 de dezembro de 2013 | 09h44

O assessor, que não foi identificado, estaria sendo protegido por autoridades sul-coreanas em um local secreto da China, segundo o canal a cabo YTN e o jornal Kyunghyang Shinmun, citando fontes familiarizadas com o assunto.

Parlamentares sul-coreanos que se reuniram com o diretor do Serviço de Inteligência Nacional do país disseram que a agência de espionagem desconhece essa deserção.

Funcionários da chancelaria e do Ministério da Reunificação disseram que não poderiam confirmar a deserção.

Segundo a YTN, o exilado gerenciava verbas para Jang Song Thaek, que se tornou um dos homens mais influentes da Coreia do Norte graças ao seu casamento com uma tia de Kim e à sua proximidade com o jovem líder comunista.

Mas Jang foi afastado das suas funções no mês passado, segundo o Serviço de Inteligência Nacional do Sul, e o canal disse que a demissão pode ter ocorrido depois da deserção do assessor.

(Reportagem de Ju-min Park e Jack Kim)

Tudo o que sabemos sobre:
COREIANORTEDESERTAASSESSOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.