Assessora de Blair é presa em escândalo de vendas de cargos

Ruth Turner, diretora de relações governamentais do primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, foi detida nesta sexta-feira pela polícia por alegações de que cargos e títulos foram concedidos em troca de doações e empréstimos a juros baixos para seu Partido Trabalhista, do qual Blair também faz parte.Segundo Downing Street, escritório e residência oficial do primeiro-ministro, Turner foi detida sob suspeita de ter desviado o curso da justiça.Turner foi levada a uma estação de polícia em Londres onde foi interrogada e depois solta para que retornasse mais tarde para "novas perguntas", informou um relatório policial.A Policia já havia interrogado Tony Blair em dezembro como parte da investigação.O Partido Trabalhista revelou em março que recebeu quase ? 20 milhões em empréstimos de 12 empresários, alguns dos quais foram mais tarde designados para ocupar uma cadeira na Câmara dos Lordes. Até agora, a polícia interrogou cerca de 90 pessoas e deteve três envolvidos no caso, entre eles Michael Abraham Levy, amigo pessoal de Blair.Segundo o porta-voz de Blair, o primeiro-ministro explicou ao policiais por que havia proposto cada uma das pessoas para que recebessem cargos honoríficos, alegando que ?o fez na qualidade de líder de uma formação e em função dos cargos reservados para os membros de um partido, como outros líderes políticos fazem?.?Portanto, os cargos honoríficos não foram por serviços públicos, mas recomendados pela formação por serviços ao partido?, disse o porta-voz. ?Nessas circunstâncias, o fato de terem financiado o partido não podia ser um obstáculo a sua nomeação?, acrescentou.A popularidade de Blair, por fim, caiu após a seqüência de escândalos envolvendo a política interna e externa. Ele espera passar o cargo ainda este ano, provavelmente para o ministro das Finanças Gordon Brown.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.