Mark Makela/Getty Images/AFP
Mark Makela/Getty Images/AFP

Assessores dizem que Biden já tomou sua decisão sobre candidata a vice

Em entrevista à TV CNN, eles disseram que o candidato democrata deve anunciar sua decisão nesta terça-feira após concluir as entrevistas com as pré-selecionadas; Trump diz que opção por mulher pode deixar alguns homens 'insultados'

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2020 | 16h02
Atualizado 11 de agosto de 2020 | 20h00

WASHINGTON - Assessores do candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, disseram à TV CNN que ele deve anunciar nesta terça-feira, 11, o nome escolhido para ser sua vice. Segundo os assessores, o ex-vice-presidente tomou sua decisão após concluir as entrevistas com todas as pré-selecionadas. Biden já adiou o anúncio em pelo menos duas ocasiões. 

Biden, que foi vice-presidente do ex-presidente Barack Obama, prometeu escolher uma mulher como companheira de chapa e sua lista inclui legisladoras e líderes negras como a senadora Kamala Harris e a ex-conselheira de Segurança Nacional Susan Rice

O candidato democrata, que será nomeado oficialmente na Convenção que ocorrerá na próxima semana, disse em março que deseja um governo que reflita a diversidade do país e prometeu que vai nomear uma mulher para concorrer à vice-presidência. 

Adversário de Biden, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta terça-feira que alguns homens podem se sentir "insultados" pela promessa feita pelo democrata de escolher uma mulher como candidata.

"Ele se cercou de um certo tipo de gente", disse Trump em uma entrevista nesta manhã à rádio Fox Sports. "Algumas pessoas diriam que os homens se sentem insultados por isso e outras pessoas acham que está tudo bem", continuou o presidente. 

Para Entender

Como funciona a escolha do presidente dos EUA

No dia 3 de novembro de 2020, 224 milhões de eleitores americanos irão às urnas e darão seu veredicto sobre a presidência de Donald Trump; veja o que mais está em jogo

Na história dos EUA houve apenas duas candidatas à vice-presidência, a democrata Geraldine Ferraro em 1984 e a republicana Sarah Palin em 2008, mas nenhuma chegou à Casa Branca, assim como nenhuma mulher foi eleita presidente do país. 

Na entrevista, Trump elogiou seu vice, Mike Pence, mas sentenciou o debate afirmando que "as pessoas não votam por um vice-presidente".

"Pode escolher George Washington para ser vice-presidente. Também colocar Abraham Lincoln, trazê-lo de volta da morte. Não se vota em um vice-presidente", defendeu Trump, usando como exemplo esses presidentes emblemáticos da história dos Estados Unidos. /AFP e REUTERS


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.