Assessoria ''vende'' País a principais jornais do mundo

Para sugerir pautas positivas sobre o Brasil nos principais meios de comunicação do mundo, o governo contratou a empresa americana de comunicação corporativa Fleishman Hillard. O orçamento é de R$ 15 milhões anuais. A crise financeira global ajudou a melhorar a imagem do Brasil, indica levantamento da empresa de assessoria de imprensa CDN nos 40 principais jornais do mundo. A pesquisa dá notas de 0 a 100, considerando o quanto as matérias são positivas ou negativas e seu destaque nos jornais. De fevereiro a abril, a avaliação positiva subiu de 72 para 84, segundo Ottoni Fernandes Jr., secretário executivo da Secretaria de Comunicação do governo. "No meio da crise, o Brasil surge como país bem preparado, com sistema financeiro sólido e bem regulado", diz Fernandes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.