Andrew Kelly/Reuters
Andrew Kelly/Reuters

Assistente de jovem empresário esquartejado em NY é preso e acusado de assassinato

Tyrese Haspil, de 21 anos, era responsável pelos assuntos pessoais e financeiros de Fahim Saleh e devia 'uma quantia significativa de dinheiro' ao chefe

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2020 | 19h10

O assistente executivo de Fahim Saleh, um jovem empresário da área de tecnologia em Nova York, foi preso nesta sexta-feira, 17, acusado de assassinar e esquartejá-lo nesta semana, segundo a polícia.

Tyrese Haspil, de 21 anos, foi acusado de matar Saleh, de 33 anos, presidente da empresa Gokada, um aplicativo de táxi e entrega por meio de motocicletas em Lagos, na Nigéria. 

Haspil, que era responsável pelos assuntos pessoais e financeiros de Saleh, devia "uma quantia significativa de dinheiro" ao chefe, segundo o detetive Rodney Harrison, chefe da polícia de Nova York. 

De acordo com o detetive, Haspil teria paralisado Saleh com uma arma Taser um pouco antes de ele entrar em seu apartamento, na última segunda-feira à tarde.

A imprensa local garante que ele o esfaqueou várias vezes e o cortou em pedaços com uma serra elétrica. 

No dia seguinte, "a prima de Fahim Saleh descobriu seu torso desmembrado na sala de estar de apartamento, com cabeça, braços e pernas amputados", disse o detetive. 

Segundo a imprensa local, quando a mulher entrou no apartamento a serra elétrica ainda estava ligada, como se o assassino tivesse sido interrompido no meio da tarefa, e que alguns membros do cadáver de Saleh estavam em sacos plásticos. 

A casa tem duas portas, e o assassino pode ter escapado quando o porteiro interfonou para anunciar a chegada da prima, segundo a imprensa. 

A investigação continua em andamento e a polícia ainda não informou a causa oficial da morte.

Saleh, filho de imigrantes de Bangladesh, também foi cofundador de uma empresa de capital de risco, a Adventure Capital, especializada em serviços digitais para "melhorar a vida" nos países em desenvolvimento. 

A imprensa local também observou que Saleh tinha comprado recentemente o apartamento onde residia no sul de Manhattan por US$ 2,2 milhões. 

O assassinato do empresário ocorre em meio a um grande aumento do crime em Nova York. /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Nova York [Estados Unidos]homicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.