Associações apoiam medida, mas querem detalhes restrições a bordo

Preocupação do setor é que limitações afetem ainda mais turismo e viagens de negócios

O Estado de S.Paulo

21 de março de 2017 | 22h46

Dois importantes grupos americanos ligados ao setor de viagens disseram ontem que são favoráveis ao aumento na segurança nos voos, mas exigem que funcionários do governo dos EUA esclareçam melhor os motivos da restrição. "Apoiamos os esforços para tornar os voos mais seguros", disse Jonathan Grella, porfta-voz do U.S. Travel Association. "Mas pedimos que o governo forneça mais detalhes sobre as novas normas.

Michael W. McCormick, diretor da Global Business Travel Association, também disse apoiar as restrições, mas alertou que a nova política pode diminuir a intensidade das viagens de negócios, uma vez que o setor ainda sente o impacto da tentativa  -- por enquanto frustrada -- do presidente Donald Trump de limitar as viagens para os EUA de cidadãos de seis países de maioria islâmica. "A medida afeta a produtividade, porque tira um tempo precioso dos passageiros que poderiam estar adiantando o trabalho a bordo", disse McCormick. 

Tudo o que sabemos sobre:
EUADonald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.