Astronautas concluem reparos no telescópio Hubble

Depois de cinco dias de trabalho, os astronautas do ônibus espacial Atlantis encerraram hoje os reparos do telescópio Hubble e fecharam pela última vez as portas do observatório orbital, que nunca mais voltará a ser tocado novamente por mãos humanas, segundo os planos da agência aeroespacial americana (Nasa, na sigla em inglês). De acordo com a instituição, o telescópio espacial Hubble estará "melhor do que nunca" graças aos esforços dos astronautas, e poderá agora fornecer melhores imagens do universo pelos próximos cinco a dez anos.

AE-AP, Agencia Estado

18 de maio de 2009 | 18h07

Durante a última visita prevista ao Hubble, os astronautas equiparam o telescópio com instrumentos científicos de ponta e trocaram as baterias e os giroscópios. Os novos equipamentos, avaliados em US$ 220 milhões, permitirão ao equipamento obter imagens de lugares cada vez mais distantes do universo, chegando a 13 bilhões de anos, muito próximo de quando os cientistas acreditam que teria ocorrido o Big Bang.

A missão de reparo do Hubble, a quinta em 19 anos, termina cinco dias depois de seu início. "Este é um grande dia, de verdade", afirmaram diretores do Controle de Missão aos astronautas após o término da missão. O Hubble continua preso aos braços mecânicos do Atlantis e voltará a orbitar sozinho a Terra a partir de amanhã.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHubbleAtlantisNasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.