Astrônomos vêem quasares de 800 milhões de anos

Astrônomos alcançaram com seus telescópios os recônditos mais remotos do espaço sideral e observaram os objetos espaciais mais distantes já vistos até hoje: dois quasares formados quando o universo tinha "apenas" 800 milhões de anos. O anúncio foi feito nesta terça-feira pela Sociedade Norte-Americana de Astronomia. Esta foi a quarta vez que o Sloan Digital Sky Survey aproximou-se ainda mais do nascimento do universo, há cerca de 13 bilhões de anos. "Nossa visão tem ido cada vez mais longe no tempo, e agora estamos a 800 milhões de anos do nascimento do universo", disse Donald Schneider, da Universidade Estadual da Pensilvânia. Descobertas anteriores chegaram a 1 bilhão de anos do nascimento do universo. Quasares são galáxias cujos componentes são extremamente ativos e brilhantes. Acredita-se que sejam alimentados por buracos negros. A luminosidade desses objetos pode chegar ao brilho de 1 trilhão de sóis. O projeto Sloan foi iniciado há cinco anos. Seu custo é de US$ 80 milhões. O objetivo é vasculhar digitalmente o céu, mapear o universo e definir sua estrutura em três dimensões.Os telescópios utilizados pelos pesquisadores situam-se em Apache Point, no Estado norte-americano do Novo México.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.