Atacantes planejavam outras ações no Kuwait

Os dois kuwaitianos que atacaram fuzileiros navais dos EUA nesta semana faziam parte de um grupo que planejava outros atentados contra americanos. Segundo um funcionário do Pentágono, ainda não foi estabelecida, no entanto, uma conexão entre o grupo e a rede terrorista Al-Qaeda, de Osama bin Laden.Os interrogatórios de cerca de 60 suspeitos e testemunhas do tiroteio de terça-feira, no qual morreu um fuzileiro da marinha e um outro ficou ferido, levaram ao paradeiro de uma "célula de aproximadamente 15 pessoas", que era dirigida por Anas al-Kandari, um dos atacantes.Al-Kandari, de 21 anos, e seu primo Jassem al-Hajiri, de 26, ambos extremistas muçulmanos que foram treinados e lutaram no Afeganistão, dispararam de dentro de um automóvel contra os fuzileiros que descansavam na ilha de Failaka, a 16 quilômetros da costa da cidade do Kuwait.Os atacantes se dirigiram a outro local e atacaram novamente antes de serem abatidos pelos fuzileiros navais. Segundo novas informações de inteligência, os atacantes planejavam ataques similares, em pequena escala, contra interesses americanos no Kuwait. Há, no entanto, pouca evidência de que os dois tenham atuado sob ordens da Al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.