Ataque a acampamento militar indiano na Caxemira deixa 8 mortos

Três supostos militantes islâmicos invadiram um acampamento militar na Caxemira indiana nesta terça-feira, matando pelo menos oito soldados e ferindo mais de uma dezena de outros antes serem mortos, disse a polícia. Entre os mortos, está um alto oficial, e dois outros de alta patente ficaram feridos, disseram oficiais do exército sob a condição de anonimato. A polícia atribuiu o ataque a guerrilheiros de grupos rebeldes baseados no Paquistão que lutam pela independência da Caxemira ou sua anexação ao vizinho país islâmico. Com granadas de mão e intenso tiroteio, os atacantes irromperam no acampamento de Tanda, perto da linha de cessar-fogo que divide a região entre a Índia e o Paquistão, disseram os policiais. Eles disseram horas depois que um terceiro atacante que havia sido encontrado quando tentava escapar para um bosque nas imediações foi mortalmente ferido pelos militares depois de ter lançado uma granada contra os soldados que o perseguiam, ferindo cinco deles. O exército cercou a área do acampamento e está à procura de outros militantes. A agência de notícias indiana PTI recebeu um comunicado atribuindo a autoria do ataque a um grupo até então desconhecido, a Brigada Al Shute. O comunicado diz que a ação foi um protesto contra as declarações de um líder paquistanês que, em visita à região, disse que o impasse entre Índia e Paquistão sobre a Caxemira pode ser resolvido pacificamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.