Ataque à assembléia da Caxemira fere 22 e mata 1

Duas granadas foram lançadas hoje em frente à assembléia legislativa da Caxemira, na Índia, e deixaram, pelo menos, 22 feridos e um morto. O atentado foi atribuído a militantes islâmicos radicais. O ataque ocorre dois meses depois do atentado suicida de 1º de outubro, contra o mesmo prédio, que deixou 40 mortos - inclusive dezenas de civis. De acordo com a polícia local, os terroristas atiraram a primeira granada contra a entrada principal da fortemente guardada assembléia legislativa de Srinagar, capital de verão do Estado indiano de Jammu-Caxemira. Pouco depois, houve outra explosão em frente a uma sala de cinema situada a 500 metros do local. Rebeldes muçulmanos na Caxemira afirmaram hoje cedo ter armazenado armas letais e sofisticadas e ameaçaram utilizá-las contra as forças indianas nos próximos dias. Os rebeldes são os mesmos apontados pelas autoridades locais como suspeitos pela autoria do ataque suicida contra o Parlamento em Nova Délhi em meados de dezembro.

Agencia Estado,

02 Janeiro 2002 | 12h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.