Ataque a bolivianos mata 1 na Argentina

Acampamento de imigrantes em Buenos Aires é cenário de batalha pelo 3º dia Consecutivo

Ariel Palacios,

11 de dezembro de 2010 | 05h36

Um jovem morreu e um número não determinado de pessoas ficaram feridas num ataque contra um acampamento de imigrantes bolivianos no bairro de Villa Soldati, Foi o terceiro dia de ataques contra o campo, instalado no Parque Indo-Americano, por parte de moradores do bairro.

Na ofensiva de ontem, os moradores atearam fogo às barracas onde viviam os imigrantes. Com a situação fora do controle, o prefeito Maurício Macri pediu auxílio ao governo federal, alegando que a polícia metropolitana, recém-criada, não possui força suficiente para debelar a rebelião. A presidente Cristina Kirchner, porém, deixou claro que não pretende ajudar Macri, que é da oposição.

Sem a presença das forças de segurança, os imigrantes imploravam ontem aos jornalistas que cobriam os incidentes não fossem embora dali, já que eram sua única garantia de vida ante o crescimento dos ataques. Os repórteres também foram ameaçados pelos moradores de Villa Soldatti. Os incidentes tiveram início quarta-feira, quando os imigrantes resistiram à tentativa de despejo realizada pela Polícia Federal. Na ocasião, dois imigrantes, foram mortos pela polícia.

O cenário ficou mais tenso ontem à noite quando Cristina afirmou que não utilizaria a Polícia Federal para reprimir protestos sociais. Os moradores de Villa Soldati e bairros vizinhos interpretaram as declarações da presidente como um sinal de que os imigrantes não seriam removidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.