Ataque à Cruz Vermelha de Bagdá causa indignação mundial

Vários países e entidades condenaram os atentados a bomba em Bagdá. A União Européia e a Comissão Européia manifestaram sua "indignação" pelo fato de o Comitê Internacional da Cruz Vermelha ter sido alvo. O porta-voz da Comissão Européia, Reijo Kemppinen, lembrou que a Cruz Vermelha é uma organização "imparcial, neutra e independente, que se dedica exclusivamente a proteger as vidas e a dignidade das vítimas da guerra".A França, por sua vez, condenou "com a máxima firmeza" os ataques e destacou a necessidade de um processo político baseado na "restauração da soberania iraquiana". O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, disse que os "terroristas responsáveis são evidentemente inimigos do povo iraquiano, pois atacam a consciência das organizações que ajudam a reconstrução de um Iraque livre e estável".O governo alemão também condenou os ataques ao mesmo tempo em que anunciou que estuda uma moratória para o pagamento da dívida iraquiana.

Agencia Estado,

27 de outubro de 2003 | 18h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.