Ataque a delegacia deixa pelo menos 4 mortos na China

Um ataque contra uma delegacia de polícia hoje na região de Xinjiang, no oeste da China, resultou na morte de vários agressores, um policial e outras três pessoas. As mortes ocorreram depois que "vários bandidos" invadiram a delegacia de polícia em Hotan e fizeram reféns, informou a agência oficial de notícias Xinhua.

AE, Agência Estado

18 de julho de 2011 | 09h04

Segundo informações oficiais, outros policiais chegaram rapidamente ao local e mataram a tiros "vários bandidos". Um policial, dois reféns e um civil também morreram, disse e Xinhua, que informou que "seis reféns foram resgatados".

Uma mulher que trabalha no escritório de informações do Departamento de Segurança Pública em Urumqi confirmou o ataque, mas não forneceu maiores detalhes. Como é comum entre funcionários do governo chinês, a mulher se recusou a dizer seu nome. Já as ligações para a polícia de Hotan não foram atendidas.

A Xinhua não esclareceu a razão do ataque, mas Xinjiang tem registrado conflitos étnicos, envolvendo principalmente o movimento separatista uigur, uma etnia majoritariamente muçulmana que considera Xinjiang como sua terra natal. Muitos uigures consideram os chineses da etnia han como intrusos.

Dilxat Raxit, porta-voz do Congresso Mundial Uigur, sediado na Alemanha, disse que várias fontes em Xinjiang disseram a ele que a violência teve início quando um grande grupo de uigures tentou realizar um protesto em Hotan nesta manhã (horário local). Houve um confronto entre os manifestantes e a polícia, disse ele, e os policiais abriram fogo.

Mais de 100 uigures haviam se reunido para se manifestar contra a suposta tomada ilegal de terras de uigures e para exigir informações sobre parentes que, segundo afirmam, desapareceram em meio a uma repressão policial que começou após tumultos na capital regional de Urumqi em 2009, disse Dilxat. Ele afirmou que não podia identificar suas fontes ou dizer se elas estão localizadas em Xinjiang por temer que sejam alvo de represálias oficiais.

A região tem estado bastante tensa desde os confrontos sangrentos de 2009 entre os uigures e migrantes chineses da etnia han. Os uigures atacaram os hans, derrubando ônibus e ateando fogo em lojas na capital regional de Urumqi. Segundo o governo, 197 pessoas morreram.

Hotan é uma cidade com 115 mil habitantes predominantemente habitada por uigures, localizada na parte sul de Xinjiang, não muito longe da fronteira com o Paquistão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinadelegaciaataqueuiguresconflito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.