, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2011 | 00h00

Usando uniformes do Exército e cinturões-bomba, militantes tomaram de assalto um escritório do governo iraquiano na cidade de Tikrit, centro do país, deixando pelo menos 56 mortos - incluindo 3 representantes municipais executados com tiros na nuca que tiveram seus corpos incendiados. De acordo com testemunhas, dentro do edifício, os militantes abriram fogo indiscriminadamente e atiraram granadas contra os oficiais do Exército que chegaram ao local posteriormente. O cerco durou cinco horas e terminou com os militantes detonando os explosivos que levavam presos ao corpo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.