Alain Jocard/ AFP
Alain Jocard/ AFP

Ataque a faca deixa 2 feridos em Paris; autoridades falam em 'terrorismo islâmico'

Ataque ocorreu perto da antiga sede do jornal satírico 'Charlie Hebdo', que já foi palco de atentado terrorista em janeiro de 2015; polícia prendeu dois suspeitos

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2020 | 08h30
Atualizado 25 de setembro de 2020 | 15h52

PARIS - O ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, declarou na tarde desta sexta-feira, 25, que o ataque ocorrido mais cedo em Paris foi  "claramente um ato de terrorismo islâmico". Pelo menos duas pessoas ficaram feridas em um ataque a faca, ocorrido perto da antiga sede do jornal satírico Charlie Hebdo.

O ataque aconteceu no momento em que ocorre o julgamento dos atentados de janeiro de 2015, no qual um dos alvos foi o veículo de imprensa. Dois suspeitos foram presos. 

"É a rua onde ficava o Charlie Hebdo, é o modo de operar dos terroristas islamitas, está claro, sem dúvida alguma, que é um novo ataque sangrento contra nosso país", disse o ministro à rede de TV France 2. O jornal Le Parisien noticiou que o caso vem sendo tratado como emergência absoluta pelas autoridades de segurança do país.

Um gabinete de crise foi formado, com a participação do primeiro-ministro Jean Castex e Darmanin, para acompanhar os desdobramentos. Durante a tarde (manhã, no Brasil), a unidade de contraterrorismo francesa abriu uma investigação para averiguar se houve participação de grupos terroristas.

O primeiro suspeito foi preso por volta das 12h30, horário local (7h30, horário de Brasília), nas proximidades da Bastilha. De acordo com pronunciamentos da promotoria antiterrorismo da França e do próprio primeiro-ministro, um segundo suspeito também foi preso. Apesar de não revelarem as identidades, as autoridades apontam que um deles seria o autor do ataque em si, enquanto o outro teria auxiliado.

Fontes policiais revelaram a jornalistas da agência de notícias Reuters que um facão e um cutelo foram encontrados na área. Também no local do incidente foi encontrado um pacote. As forças de segurança trataram o caso, inicialmente, como uma suspeita de bomba. Apesar disso, horas mais tarde, o laboratório central da polícia parisiense descartou a hipótese.

Equipes de elite da polícia francesa bloquearam ruas ao redor da cena do crime e chegaram a retirar os alunos de nove escolas enquanto as buscas pelos suspeitos ocorria. Uma recomendação foi emitida durante a operação para que as pessoas evitassem trafegar pela região./ AFP, REUTERS, AP E  LE PARISIEN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.