Sandy Huffaker/The New York Times
Sandy Huffaker/The New York Times

Ataque a imigrantes vira estratégia para vencer eleição

O combate à imigração tem a aprovação de mais da metade dos eleitores republicanos

O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2018 | 20h15

WASHINGTON - A investida do presidente Donald Trump no combate à imigração ilegal, separando pais e filhos que cruzam a fronteira, deverá ser a estratégia de campanha da Casa Branca para as eleições legislativas de novembro. Apesar das críticas, estrategistas republicanos lembram que os ataques aos imigrantes funcionou muito bem politicamente para Trump em 2016, quando ele ganhou votos prometendo construir um muro na fronteira com o México, o que até hoje não se concretizou. 

“As pessoas não vão votar em agradecimento ao presidente”, disse Corey Lewandowski, um dos principais conselheiros políticos de Trump ao New York Times. “Se você quer motivar eleitores, você precisa dar-lhes uma razão para votar, dizendo coisas como ‘construir um muro e conter a entrada de ilegais que estão matando cidadãos americanos’.” 

A estratégia tem aprovação de mais da metade dos eleitores republicanos. Segundo pesquisa da CNN, apenas 27% da população acha correta a separação dos imigrantes de seus filhos. Entre os republicanos, esse porcentual sobe para 58%. Uma sondagem do instituto Quinnipiac mostra que 55% dos republicanos apoiam a medida. 

Os apoiadores de Trump afirmam que a única maneira de o Partido Republicano vencer os democratas nas urnas é focar em questões que são mais caras a eles. “As pessoas estão emocionalmente ligadas a esta questão”, explicou Andy Surabian, estrategista republicana e ex-assessora de Trump. “Eu sei que isso enraivece alguns doadores (de campanha), mas essa é a realidade de como o partido é.” 

+ Trump diz que rejeitará lei migratória moderada; secretário defende separação de pais e filhos

Oposição. O partido tende a ser cauteloso ao tratar de imigração em ano de eleição, em meio às tentativas de se aproximar do eleitorado latino, independente e moderado em diferentes regiões. Mas, segundo analistas, à medida que cai o interesse por questões econômicas, a estratégia é tentar ligar os democratas a crimes cometidos por imigrantes ilegais e gangues como a MS-13. 

Trump culpou o Partido Democrata pela brecha na lei que permite que famílias sejam separadas e voltou a apontar para a oposição, pedindo ao Congresso que faça alguma coisa para mudar a lei. “Democratas são o problema. Eles não se importam com o crime e querem que imigrantes infestem nosso país”, tuitou. / NYT

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.