Ataque a microônibus deixa seis mortos em Bagdá

Pelo menos seis pessoas morreram e oito ficaram feridas por causa da explosão de uma bomba no interior de um microônibus que trafegava por um bairro predominantemente xiita de Bagdá, informou a polícia local nesta quinta-feira.A explosão ocorreu perto da hora do almoço em Karradah, um distrito comercial que foi alvo de diversos ataques nas últimas semanas.Rebeldes sunitas são acusados de promover os ataques com o objetivo de provocar o maior número possível de vítimas em um momento no qual se desenha uma nova operação americana de repressão a supostos insurgentes.De acordo com os dados anunciados pela polícia até o momento, seis pessoas morreram e oito ficaram feridas na explosão. Na semana passada, um ataque suicida com carro-bomba na região provocou a morte de mais de 30 pessoas.Comunicado anuncia mais mortesDois soldados americanos e quatro supostos insurgentes morreram nesta quarta-feira em ações militares separadas em diferentes pontos do Iraque, informou ainda na quinta-feira o comando militar americano no país.Um primeiro comunicado assinala que um soldado não resistiu aos ferimentos que sofreu em combate na província de Ambar na terça-feira e morreu nesta quarta-feira.A nota informa que outro soldado morreu em conseqüência dos ferimentos sofridos durante uma operação similar na província de Salahedin, situada no norte do Iraque.A maioria das baixas no Exército dos Estados Unidos no Iraque ocorreu na província de Ambar, considerada reduto da insurgência Sunita.Com estas mortes, chega a 3.091 o número de soldados americanos mortos no Iraque desde o início da invasão, em março de 2003.Em outro comunicado, o Exército americano informou que matou ontem quatro supostos insurgentes em uma estrada geral no noroeste de Bagdá.Os soldados americanos detectaram seis indivíduos que colocavam uma bomba numa estrada freqüentemente utilizada pelas tropas americanas. Quatro dos seis insurgentes morreram, enquanto os outros dois conseguiram fugir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.