Ataque a ônibus no Paquistão mata 19 xiitas

Um veículo carregado de explosivos atingiu neste domingo um ônibus que transportava peregrinos muçulmanos xiitas no sul do Paquistão, matando 19 pessoas e ferindo outras 25, segundo um funcionário do governo e testemunhas. Mais cedo, 21 policiais que supostamente haviam sido sequestrados pelo Taleban foram encontrados mortos na região tribal do noroeste do país, de acordo com autoridades.

AE, Agência Estado

30 de dezembro de 2012 | 17h17

O Paquistão tem visto no último ano um aumento dos ataques de muçulmanos sunitas radicais contra os xiitas, que eles consideram hereges. A violência tem sido particularmente evidente na província do Baluquistão, onde ocorreu o ataque mais recente.

A explosão destruiu completamente o ônibus atingido e causou danos a outro ônibus que também levava xiitas. Uma testemunha disse à Geo TV, do Paquistão, que o primeiro ônibus levava mais de 40 peregrinos para o Irã, um país de maioria xiita que atrai vários turistas religiosos. Uma segunda testemunha disse que o terrorista dirigia uma picape e parou em frente ao ônibus, que atingiu o veículo. Logo em seguida, ocorreu uma grande explosão.

Os xiitas representam cerca de 15% da população do Paquistão. Eles estão espalhados pelo país, mas a província de Baluquistão concentra maior comunidade, formada principalmente por membros da etnia Hazara.

Extremistas sunitas realizam ataques contra xiitas há muito tempo, mas a violência se intensificou nos últimos anos, principalmente por causa do grupo radical Laskar-e-Jangvhi, alinhado a militantes do Taleban na região. Somente este ano, mais de 300 xiitas foram mortos no país, segundo a Human Rights Watch.

Os 21 policiais mortos foram encontrados na madrugada deste domingo na área de Jabai, em Peshawar, depois que um policial conseguiu escapar e avisar autoridades. Outro policial ficou gravemente ferido.

Os 23 policiais desapareceram na quinta-feira, quando militantes armados com lança-foguetes e armas automáticas atacaram dois postos de controle em Peshawar. Outros dois policiais foram mortos nos ataques.

Segundo uma autoridade local, os militantes enfileiraram os policiais em um campo de críquete no sábado à noite e os executaram.

Ainda no domingo, dois soldados do exército paquistanês foram mortos na explosão de uma bomba na beira de uma estrada na área tribal de Waziristão do Norte, o principal santuário para militantes do Taleban e da Al-Qaeda no país. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Paquistãoataquexiitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.