Ataque a poço petrolífero chinês na Etiópia mata 74

Sessenta e cinco trabalhadores etíopes e nove chineses foram mortos nesta terça-feira, 24, em um ataque de cerca de 200 homens armados contra uma jazida de petróleo de uma companhia chinesa na Etiópia, informou a agência oficial chinesa Xinhua.Outros sete trabalhadores chineses foram seqüestrados durante o ataque, disse Xu Shuang, diretor interino do Birô de Prospecção de Petróleo da Zhongyuan, pertencente à companhia China Petroleum & Chemical Corporation.Segundo a Xinhua, a Embaixada chinesa na Etiópia confirmou o ataque ao poço, situado em Abole. Os agressores tomaram o controle do poço após uma troca de tiros de cerca de 50 minutos com mais de 100 soldados que protegiam o local, acrescentou Xu.Esse não é o primeiro ataque contra os interesses petrolíferos chineses na África nos últimos meses. Três seqüestros de trabalhadores chineses do setor já foram registrados este ano na Nigéria.A China aumentou sua presença na África nos últimos anos, em busca de fontes energéticas para sustentar seu veloz crescimento econômico.Contudo, grupos rebeldes anunciaram que qualquer investimento que traga benefícios aos governo etíope "não seriam tolerados".As quatro principais petrolíferas estatais chinesas - a China National Petroleum Corporation (CNPC), a PetroChina, a Sinopec e a China National Offshore Oil Corporaion (CNOOC) - conseguiram participações e direitos de prospecção e exploração nas principais jazidas africanas. Matéria ampliada às 09h55 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.