Ataque à Síria é um ataque a nós, diz autoridade do Irã

O Irã considera que qualquer ataque contra a Síria é um ataque aos iranianos, disse neste sábado um conselheiro do líder supremo da República Islâmica, no maior alerta já feito por um membro oficial do país de que Teerã irá usar qualquer meio disponível para manter o regime do presidente Bashar Assad no poder.

AE, Agência Estado

26 de janeiro de 2013 | 10h10

Ali Akbar Velayati, um assessor do aiatolá Ali Khamenei, disse que a Síria desempenha um papel importante na "frente de resistência" aos grupos militantes e Estados anti-Israel. "A Síria desempenha um papel muito importante de apoio na frente de resistência. Por esta mesma razão, um ataque à Síria é considerado um ataque ao Irã ou aos aliados do Irã", disse Velayati, segundo a agência semioficial de notícias Mehr.

Os comentários refletem o compromisso do Irã para evitar um possível colapso do governo de Assad, que está lutando em uma guerra sangrenta contra os rebeldes. Mais de 60 mil pessoas já foram mortas desde que o conflito começou, em março de 2011, segundo a ONU.

Velayati, ex-ministro de Relações Externas do Irã, disse ainda que sem o apoio da Síria os grupos militantes libanês Hezbollah e palestino Hamas teriam sido derrotados em guerras contra Israel.

"Se a Síria não tivesse fornecido o apoio logístico ao Hezbollah, o Hezbollah e o Hamas não teriam alcançado a vitória nas guerras de 33 e de 22 dias, respectivamente", disse, referindo-se aos conflitos de 2006 e de 2008-2009, nesta ordem. Ambos os grupos militantes reivindicam a vitória nesses períodos, apesar de Israel ter contestado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.