Ataque a sunitas mata nove e deixa 30 feridos no Iraque

Um atentado terrorista matou nove pessoas e deixou pelo menos 30 feridos hoje, perto de Bagdá. As vítimas, paramilitares sunitas, estavam em uma fila para receber seus salários quando um homem detonou explosivos presos ao próprio corpo. A explosão ocorreu por volta das 11 horas da manhã, do lado de fora de um quartel-general, na cidade de Jbala, a cerca de 50 quilômetros ao sul da capital iraquiana. O homem-bomba caminhou em direção a um grupo de aproximadamente 250 membros do chamado Conselho de Salvação e detonou os explosivos. Os Conselhos de Salvação são milícias tribais sunitas aliadas ao governo iraquiano e ao exército dos Estados Unidos na luta contra a rede terrorista da Al-Qaeda.

AE-AP, Agencia Estado

11 de abril de 2009 | 15h46

O aumento dos ataques, que recentemente mataram pelo menos 53 pessoas apenas em Bagdá, faz crescer a preocupação sobre a capacidade das forças iraquianas de assumir a segurança do país após a remoção das tropas americanas, prevista para agosto de 2010.

A decisão de dezenas de milhares de combatentes sunitas de se voltar contra as forças insurgentes em 2006 foi vital para reduzir a violência no Iraque. Mas os Conselhos de Salvação têm sido alvos constantes de terroristas. O governo iraquiano suspeita que alguns combatentes mantêm relações com os insurgentes. Os salários dos paramilitares, que antes eram pagos pelo exército dos Estados Unidos, estão dois meses atrasados. Entre eles, existe a preocupação de que as autoridades lideradas pelos xiitas venham a dispensá-los.

Tudo o que sabemos sobre:
Bagdásunitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.