Ataque a tribunal no Paquistão deixa 4 mortos

Um suicida detonou os explosivos que levava junto ao corpo no interior de uma sala de tribunal nesta segunda-feira na cidade de Peshawar, noroeste do Paquistão, matando quatro pessoas e ferindo mais de 40, informaram autoridades.

Agência Estado

18 de março de 2013 | 12h29

Dois militantes atacaram a parte de trás do prédio e entraram em confronto com três guardas, informou o policial Masood Afridi. Os militantes atiraram e feriram os policiais, mas não antes de um dos guardas matar a tiros um dos homens. O outro suicida consegui entrar na sala do tribunal, onde uma juíza mulher atuava, e detonou os explosivos, disse Afridi.

Quatro pessoas foram mortas e 47 ficaram feridas no ataque, disse Habib Arif, graduada autoridade do governo de Peshawar. Vinte dos feridos foram liberados após receber os primeiros socorros no hospital, mas 27 permaneceram internados, disse Arif.

A juíza que presidia a sessão dentro da sala está entre os feridos, informou o policial Mohammad Arshad Khan.

Os homens que realizaram o ataque podem ter tentado libertar militantes detidos no complexo, disse Mian Iftikhar Hussain, ministro de Informação da província de Khyber Pakhtunkhwa, da qual Peshawar é capital. Nenhum grupo havia assumido a autoria do ataque.

Na cidade portuária de Karachi, forças paramilitares detiveram um líder militante que esteve envolvido no sequestro e assassinato do repórter Daniel Pearl, do Wall Street Journal, em 2002, informaram dois oficiais paramilitares em condição de anonimato.

Qari Abdul Hayee, ex-líder do grupo militante Lashkar-e-Jhangvi na província de Sindh, foi detido no domingo em Karachi, disseram autoridades paramilitares. Ele também é conhecido pelo nome de Asadullah e esteve envolvido em outros ataques realizados em Karachi.

Também em Karachi, homens armados numa motocicleta mataram a tiros o professor xiita Sibt-e-Jafar, nesta segunda-feira. As informações são da Associated Press.,

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoataquePeshawar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.