Ataque a TV pró-governo mata 3 jornalistas e 4 seguranças na Síria

Grupo detonou bombas nas instalações da "Al Ikhbariya" após saquear e destruir os estúdios

Efe,

27 de junho de 2012 | 05h44

DAMASCO - Pelo menos sete pessoas - entre elas três jornalistas - morreram nesta quarta-feira, 27, no ataque de "um grupo armado" à sede da rede de televisão pró-governo "Al Ikhbariya", nas proximidades de Damasco, informou a agência de notícias oficial síria "Sana".

 

Além dos três jornalistas, quatro seguranças também morreram, enquanto há sete pessoas sequestradas e nove feridas pelo assalto, que começou às 4h30 locais (22h30 de Brasília), contra as instalações da emissora na zona de Drousha, 15 quilômetros a oeste de Damasco.

 

 

Segundo a agência, os insurgentes colocaram artefatos explosivos nas instalações da "Al Ikhbariya" "após saquear e destruir os estúdios do canal por satélite". A televisão oficial síria mostrou imagens do local, nas quais era possível ver a sede do canal destruída pelas explosões. Alguns muros que ficaram de pé apresentavam marcas de tiros.

 

O ministro da Informação sírio, Omran al Zubi, qualificou o ataque como "o pior massacre contra a imprensa e a liberdade de expressão por executar jornalistas sírios a sangue frio e destruir com brutalidade o edifício da televisão 'Al Ikhbariya'". "Atribuímos à União Europeia, aos árabes e às organizações internacionais a responsabilidade por esse massacre", disse Zubi, depois de assegurar que "o massacre não ficará impune".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.