Ataque aéreo contra refugiados mata 87 no Iêmen, dizem fontes

Mais de 80 refugiados morreram nesta semana num ataque aéreo militar contra um acampamento no norte do Iêmen, onde rebeldes xiitas contestam a autoridade do presidente Ali Abdullah Saleh, informaram uma fonte do acampamento e reportagens na quinta-feira.

MOHAMMED GHOBARI, REUTERS

17 de setembro de 2009 | 16h32

Grupos de direitos humanos locais e internacionais condenaram o ataque, que se seguiu às notícias de dezenas de pessoas mortas com explosão de uma bomba na segunda-feira, e pediram que o governo garanta proteção aos cidadãos.

Um refugiado no campo improvisado em Adi em Harf Sufyan, no centro dos combates iniciado no começo de agosto, disse que pelo menos 87 pessoas morreram na ofensiva na tarde de quarta-feira.

A fonte, que não quis revelar seu nome, disse que 87 corpos foram enterrados na quinta-feira.

"O acampamento foi pego de surpresa pelo bombardeio da Força Aérea", disse ele. "Quando um avião começou os disparos, algumas pessoas correram em direção ao canal de água, mas foram mortos quando o avião disparou contra eles de novo."

O site independente News Yemen disse que 85 pessoas morreram.

"Um ataque aéreo os atingiu na área, quando eles dormiam debaixo de árvores e toldos de plástico", afirmou ele, citando testemunhas. O site afirmou que a Força Aérea executou depois um segundo ataque contra o acampamento.

Os rebeldes, que esta semana postaram em seu site imagens dos mortos e feridos em um suposto ataque aéreo em Al-Talh, acusaram o governo de cometer "crimes brutais".

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENATAQUEAEREO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.