Ataque aéreo israelense fere nove palestinos em Gaza

Seis crianças palestinas, um policial do Hamas e duas outras pessoas foram feridas hoje por um ataque aéreo de Israel no sul da Faixa de Gaza, afirmaram testemunhas e médicos. O ataque atingiu Mohammed al-Sumeiri, um policial do Hamas, e seu passageiro enquanto eles estavam em uma motocicleta na cidade de Khan Yunis. As seis crianças estavam passando na rua e outro adulto também foi atingido.O ataque aéreo foi o último incidente violento na Faixa de Gaza e nas proximidades do território desde o início de um cessar-fogo, em 18 de janeiro.Em 27 de dezembro, Israel lançou uma operação militar contra os membros do grupo militante Hamas, que deixou cerca de 1.300 mortos. Nos 22 dias de confronto foram mortos 13 israelenses.Assentamentos - O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, disse ao enviado norte-americano para a região, George Mitchell, que Israel propôs retirar 60 mil assentados da Cisjordânia ocupada, informou hoje o jornal Yediot Aharonot. Mitchell irá se encontra hoje com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em Ramallah. Sobre Jerusalém, um dos temas mais sensíveis nas décadas de conflitos entre israelenses e palestinos, "Israel concordou com a divisão da cidade, e que os vizinhos em Jerusalém Oriental sejam transferidos para soberania palestina". Os lugares sagrados seriam administrados por uma autoridade internacional que supervisionaria o acesso a eles e garantiria o respeito às práticas religiosas.Segundo o diário, Olmert disse que Israel concordou em se retirar até as fronteiras de 1967, porém com "revisões fronteiriças" que manteriam grandes blocos de assentamentos em território israelense. Em 1967, Israel capturou a Cisjordânia, a Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental, na chamada Guerra dos Seis Dias. O país se retirou de Gaza em 2005. Pelos territórios anexados dos assentamentos, Israel oferece ao futuro Estado palestino igual porção de território do sul israelense. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.