Ataque atribuído aos EUA deixa 5 mortos no Paquistão

Um ataque realizado por um avião não tripulado, aparentemente dos Estados Unidos, deixou pelo menos cinco pessoas mortas hoje no noroeste do Paquistão. A ação é parte de uma série sem precedentes de ataques, desde que um violento atentado foi impetrado contra agentes da CIA (a agência de inteligência norte-americana) do outro lado da fronteira, no Afeganistão, segundo fontes de inteligência.

AE-AP, Agencia Estado

19 de janeiro de 2010 | 14h33

Dois mísseis atingiram um prédio e um veículo próximo na área de Deegan, no Waziristão do Norte, uma zona dominada pela rede Haqqani, facção do Taleban afegão ligada à Al-Qaeda. Muitas fontes desconfiam que a rede Haqqani é a responsável pelo ataque suicida de 30 de dezembro, que matou sete funcionários da CIA em uma remota base na província de Khost.

O ataque, hoje, foi o 12º desde o atentado contra a CIA. Uma aeronave não tripulada também já teve como alvo o líder do Taleban paquistanês, Hakimullah Mehsud, que aparecia em um vídeo ao lado do jordaniano que realizou o atentado suicida de dezembro. Uma série de ataques contra o esconderijo de Mehsud no Waziristão do Sul, porém, aparentemente não matou o líder militante.

As identidades dos mortos no ataque de hoje ainda não foram conhecidas, disseram funcionários de inteligência, pedindo anonimato. A área atingida pelo ataque está localizada a 30 quilômetros a oeste da cidade de Miran Shah e a 20 quilômetros ao sul da fronteira afegã.

Autoridades dos EUA geralmente não comentam esses ataques com aviões não tripulados. No passado, funcionários norte-americanos chegaram a defender essas ações, que, segundo eles, matou vários importantes membros da Al-Qaeda e do Taleban. O governo do Paquistão condena publicamente esses ataques, qualificando-os como uma violação à soberania nacional. Acredita-se, porém, que haja um acordo secreto entre Islamabad e Washington para que eles ocorram.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEUAataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.