Olivier Douliery/AFP
Olivier Douliery/AFP

Ataque cibernético atinge toda a população de uma pequena cidade dos Estados Unidos

Sistemas da prefeitura falharam, escolas foram fechadas e hospitais atrasaram atendimentos de quimioterapia

Chris Velazco e Rachel Lerman, The Washington Post, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2021 | 05h00

LEONARDTOWN, EUA - Uma cidade no Estado de Maryland, localizada no nordeste nos Estados Unidos, foi alvo de um ataque global de ransomware que violou um software popular feito pela empresa de tecnologia de informação Kaseya. A invasão cibernética aconteceu no último domingo, 4, e afetou o cotidiano dos quase quatro mil habitantes do município Leonardtown. "Você não conseguia abrir nenhum documento, estava completamente bloqueado para todos os seus arquivos”, relata Laschelle McKay, a administradora da cidade. Os ataques de ransomware também estão fechando escolas e atrasando pacientes que precisam de quimioterapia. 

Os especialistas nomeiam ransomware como uma prática feita por hackers que invadem os dados de uma empresa, sequestram informações, bloqueiam e exigem dinheiro para desbloquear esses sistemas. Dos 19 computadores de Leonardtown, somente dois não foram invadidos. McKay conta que JustTech - uma empresa de tecnologia -, informou que o pedido de resgate era de US$ 45 mil por computador. Mas os líderes da cidade decidiram não pagar o valor exigido. Para driblar a situação, eles estão tentando restaurar backups dos sistemas dos computadores.

Mesmo com as adversidades, a equipe municipal segue trabalhando sem acesso aos PCs. A maneira de ajudar a população é pessoalmente ou por telefone. Até mesmo a simples tarefa de digitalizar documentos foi dificultada. “Não podemos acessar nenhum de nossos dados agora para poder atender nossos clientes”, disse McKay. Ela também está tentando garantir que o sistema de folha de pagamento da cidade esteja online novamente antes que os contracheques precisem sair.

Alguns moradores ficaram preocupados com a divulgação de dados pessoais. Em resposta,  a JustTech disse à cidade que acredita que nenhuma informação pessoal tenha sido roubada. Além de Leonardtwon, outra cidade em Maryland, North Beach, divulgou um comunicado à imprensa confirmando que também havia sido alvo do ataque cibernético. 

“Tínhamos planos de trazer os clientes de volta e nos recuperar totalmente de situações como essa, mas nunca imaginamos que precisaríamos fazer tudo de uma vez”, afirma em e-mail o proprietário da JustTech, Joshua Justice. Ele declarou que sua equipe está trabalhando 24 horas por dia para restaurar backups dos clientes afetados não só de Maryland, mas também de outros cinco Estados.

Os ataques de ransomware cresceram nos últimos anos, à medida que os hackers sofisticaram o sistema para extorquir o máximo de dinheiro possível das vítimas, incluindo prestadores de serviços de saúde, escolas, municípios e empresas. O governo Biden tem sido pressionado para solucionar a segurança digital nos Estados Unidos e retomar as negociações com a Rússia sobre o problema,  visto que muitas invasões cibernéticas parecem ter origem na Rússia.

“Se o governo russo não puder ou não tomar medidas contra criminosos residentes na Rússia, tomaremos medidas ou nos reservamos o direito de agir por conta própria”, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, ao falar sobre as consultas de segurança cibernética entre os dois países. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.