EFE/MUHAMMAD SADIQ
EFE/MUHAMMAD SADIQ

Ataque com carro-bomba a comboio da Otan no Afeganistão deixa vítimas

Organização confirmou atentado, mas ainda não revelou muitos detalhes; os taleban reivindicaram autoria da ação

O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2017 | 08h37

CABUL - Um ataque com um carro-bomba contra um comboio da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) provocou várias vítimas nesta quarta-feira, 2, perto da cidade de Kandahar, no sul do Afeganistão, anunciaram a Aliança Atlântica e um porta-voz da polícia local.

"Por volta do meio-dia (4h30 em Brasília), um carro-bomba atacou um comboio de forças estrangeiras na zona de Daman, em Kandahar", afirmou o porta-voz Zia Durrani.

A Otan confirmou em um comunicado o ataque contra o comboio e afirmou que ele "provocou vítimas", sem revelar detalhes. "Nós estamos trabalhando para reunir informações adicionais o mais rápido possível e vamos divulgar mais detalhes quando for apropriado", disse a nota.

"Vi um veículo das forças estrangeiras em chamas após o ataque", afirmou o comerciante Mohamed Azim.  "Pouco depois, helicópteros pousaram na região. Tiraram três corpos do veículo e os levaram. Havia três carros blindados no comboio", disse ele.

Os taleban, responsáveis por vários ataques na Província de Kandahar, reivindicaram autoria do ataque. O último atentado contra as tropas da Otan no Afeganistão aconteceu no dia 1.º de maio em Cabul e deixou 8 mortos e 28 feridos, a maioria civis.

O aeroporto de Kandahar abriga uma importante base militar para soldados internacionais que ajudam as forças de segurança do Afeganistão no combate a militantes.

A Otan concluiu sua missão de combate no território afegão no fim de 2014, após uma década de intervenção no país. Desde então, o Exército e a polícia locais tentam combater a insurreição taleban, ao mesmo tempo que enfrentam a ameaça crescente do grupo jihadista Estado Islâmico (EI). / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.