Reuters
Reuters

Ataque com carro-bomba mata pelo menos 25 no Paquistão

Atentado ocorreu enquanto o mercado estava lotado de pessoas comprando comida para o fim de semana

18 de setembro de 2009 | 07h24

Pelo menos 25 pessoas morreram na explosão de um carro-bomba em um mercado no vilarejo de Astarzai, no noroeste do Paquistão, nesta sexta-feira, 18. Segundo testemunhas, o militante que dirigia o carro está entre os mortos.

 

O carro-bomba explodiu perto de um hotel cujo dono é um empresário xiita.  O atentado ocorreu no momento em que o mercado estava lotado de pessoas comprando comida para o fim de semana. Segundo policiais, muitas pessoas ficaram feridas no ataque e o número de mortos pode subir. A explosão foi tão intensa que quase derrubou um prédio na área.

 

O porta-voz da polícia, Fazal Naeem, confirmou que o autor dos dirigia um jipe com 150 quilos de explosivos. De acordo com testemunhas citadas pelo canal Geo TV, o suicida ativou os explosivos em frente a uma parada de ônibus situada próxima a um hotel, no mercado da zona de Kacchapakka.

A maioria das vítimas é membro da minoria muçulmana xiita da região, e a polícia disse acreditar que o atentado tenha sido motivado por disputas sectárias. Um grupo militante que se auto-intitula Lahskar-e-Jhangvi al Almi assumiu a responsabilidade pelo ataque. Segundo a BBC, o grupo está provavelmente ligado à organização extremista sunita Lahskar-e-Jhangvi, que por sua vez tem relações com o Taleban.

 

Militantes sunitas do Taleban têm realizado atentados frequentes contra os xiitas da região. Os sunitas representam 80% da população do Paquistão e são o grupo dominante nas áreas tribais do país.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.