Ataque com granada mata adolescente na Colômbia

Uma menina de 14 anos morreu devido à explosão de uma granada de fragmentação lançada contra uma padaria da cidade colombiana de Venecia, a 65 quilômetros ao sul de Bogotá. Segundo o comandante da XIII Brigada do Exército, general Reynaldo Castellanos, o dispositivo foi jogado por guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). A adolescente Norely Figueredo morreu em um hospital em conseqüência de ferimentos causados pela explosão. Outras cinco pessoas, incluindo um bebê de cinco anos, ficaram feridas. O ataque ocorreu 24 horas depois que as Farc libertaram a menina Francy Lorena Erazo, de três anos, que havia sido seqüestrada há uma semana pela guerrilha para pressionar a renúncia de seu pai, o prefeito do município de Colón, Libardo Erazo. Acidente A queda de um helicóptero Huey doado pelos EUA na zona dominada pela guerrilha, em meio à operação de retirada de uma missão médica, deixou seis mortos e apenas um sobrevivente. O aparelho, do tipo Bell UH-1N Huey, doado pelos EUA para a luta contra o narcotráfico, sofreu um acidente em uma área entre os municípios de Solita e Valparaíso, a cerca de 420 quilômetros ao sul de Bogotá, onde operam grupos das Farc. Segundo o Exército, a causa do acidente ainda está sendo investigada. Versões preliminares indicavam que o responsável podia ser o mau tempo. Não havia indícios de um ataque rebelde contra a aeronave.

Agencia Estado,

02 Agosto 2002 | 16h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.