Ataque com granadas deixa quatro mortos no Quênia

Explosões em uma das maiores rodoviárias de Nairóbi, capital do Quênia, mataram pelo menos quatro pessoas e deixaram outras 40 feridas neste sábado, disseram policiais quenianos, que culparam militantes islamitas da Somália pelos atentados. O porta-voz da polícia, Charles Owino, disse que testemunhas viram um automóvel se aproximar da rodoviária em alta velocidade e homens que estavam no carro jogarem pelo menos três granadas contra as pessoas que estavam no terminal. A ministra da Casa Civil, Esther Murugi, visitou vários dos feridos em um hospital e afirmou que seis serão submetidos a cirurgias de emergência.

AE, Agência Estado

10 de março de 2012 | 17h15

O atentado de hoje foi o mais recente na capital do Quênia. A violência foi trazida à capital do país após o Quênia enviar tropas à Somália para combater insurgentes islamitas da organização Al-Shabab, em outubro passado. O governo queniano enviou os soldados porque os extremistas somalis estavam realizando várias incursões no território do país. A Al-Shabab prometeu se vingar do Quênia. "Quanto mais vocês nos atacarem, mais agressivos nós seremos", disse Owino. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
QuêniaSomáliaataquegranadasmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.