Ataque contra governo provincial afegão deixa 19 mortos

Em nova mostra dos desafios de segurança do país, Talebã reivindicou ação contra complexo estatal em Parwan.

BBC Brasil, BBC

14 de agosto de 2011 | 09h39

Ao menos 19 pessoas morreram neste domingo e dezenas de outras se feriram em um ataque de militantes afegãos contra prédios do governo provincial de Parwan, cerca de uma hora ao norte de Cabul.

Fortes explosões e tiros foram ouvidos na manhã deste domingo na capital da província, Charikar, segundo testemunhas.

O governador, Abdul Basir Salangi, disse que os edifícios estatais foram alvejados por seis homens-bomba.

O Talebã reivindicou o ataque, que durou cerca de uma hora e causou surpresa, já que Parwan é considerada uma província relativamente pacificada.

O ataque evidencia o desafio da segurança do Afeganistão, num momento em que os Estados Unidos preparam sua retirada e que as tropas locais ainda se mostram pouco equipadas para conter o extremismo e a criminalidade.

Ao mesmo tempo, o Talebã parece ter mudado suas táticas e tem atacado figuras políticas proeminentes ou alvos que costumam ser fortemente protegidos.

Suicida de uniforme

O ataque deste domingo ocorreu durante uma reunião de oficiais de segurança, com a presença de chefes policiais e de inteligência, além de assessores da coalizão internacional que combate no Afeganistão.

O governador Salangi disse à BBC que a ação foi inicialmente perpetrada por "um extremista suicida que usava um uniforme policial e que detonou explosivos" no portão de entrada do complexo governamental.

"Então, outros cinco (homens-bomba) atacaram meu escritório", agregou. "Conseguiram entrar no complexo. Os combates duraram uma hora."

A segurança no local havia sido reforçada após um recente atentado contra o governador, que é um importante aliado do presidente afegão, Hamid Karzai.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.